Dar Asas para Voar

É urgente cuidar de quem cuida, de quem sofre em silêncio e isolamento com a grande frustração face às expetativas não concretizadas e ao desenvolvimento dos seus filhos que se vão afastando dos parâmetros normais.


A Organização Mundial de Saúde, define pessoa com deficiência como “aquela que por motivo de perda ou anomalia, congénita ou adquirida, de estrutura ou função psicológica, intelectual, fisiológica ou anatómica suscetível de provocar restrições de capacidade, pode estar considerada em situação de desvantagem para o exercício de atividades consideradas normais, tendo em conta a idade, o seco e os fatores socioculturais”. Esta definição remete-nos para a elevada dependência de cuidados destes indivíduos, variando naturalmente em função das características da deficiência bem como o seu grau de autonomia. Deste modo os cuidadores assumem um papel crucial na vida destes indivíduos, particularmente os cuidadores informais (familiares), responsáveis pela maioria dos cuidados prestados. É por isso emergente atender às necessidades, quer dos indivíduos portadores de multideficiência, quer também dos seus cuidadores.

De acordo com o Plano de Desenvolvimento Social 2016-2021 do município de Braga existem 10 428 cidadãos portadores de deficiência (auditiva, visual, motora, mental, paralisia cerebral e outras). No mesmo documento percebem-se as principais necessidades desta população, a saber: necessidades de inserção socioprofissional, desadequação do sistema de ensino, horário letivo reduzido, ausência de respostas às famílias que vão de encontro à conciliação entre a vida profissional e familiar, e inexistência de respostas sociais. A área da deficiência é assim apontada como uma problemática prioritária. 

O nosso projeto pretende responder exatamente a estas lacunas identificadas no território, essencialmente no que concerne ao apoio às famílias e criação de respostas sociais mais adaptadas. 

Voltar